Fronteiras

O tema selecionado para essa edição são as fronteiras. A França possui sua maior fronteira terrestre justamente com o Brasil. Trata-se, aqui, da fronteira na sua acepção mais tradicional, como limite, marco ou linha divisória entre dois países. Uma linha, a princípio, invisível, resultado de tratados internacionais, que, no entanto, vem ganhando materialidade em certas regiões do mundo, como o ilustra o polêmico muro erguido entre o México e os Estados Unidos.

A fronteira pode ser percebida, igualmente, como ponto de contato, de trocas ou, até mesmo, de fusão com o outro, com o que é diferente, com a alteridade. Em sentindo mais amplo, a fronteira pode, também, remeter à ideia de descoberta, de exploração e de inovação. No campo das artes, a fronteira pode ser compreendida como o tênue limite entre técnicas e olhares: preto e branco/cor, analógico/digital, ficção/realidade,... A proposta do concurso consiste, justamente, em debruçar-se sobre esse conceito que admite múltiplas acepções, perspectivas e traduções imagéticas

saiba mais sobre o concurso

Premiação

Viagem com acompanhante
para Paris

Fim de semana
para 2 pessoas no
Santa Teresa Hotel
RJ MGallery

Prêmio
júri popular

Bolsa de um
semestre na
aliança
francesa

O Júri

Katia Chalita

Presidente do Conselho da Aliança Francesa do Rio de Janeiro. Presidente do Instituto de Cultura Brasil-Líbano. Membro da Academia Petropolitana de Letras. Diretora da Ákbar Produções Artísticas e Culturais. Educadora, produtora e gestora cultural, consultora de mídia-educação e comunicação. Dirigiu o Núcleo de TV, Rádio e Cinema da MultiRio. Presidiu a Fundação de Cultura, Esportes e Lazer de Petrópolis, quando foi Secretária de Cultura de Petrópolis. Foi âncora e roteirista dos programas de TV: France Express, Maravilhas da França, Vif@x Brasil, Aventures e Restez Br@nché, todos sobre a língua e a cultura francesas e sobre o intercâmbio cultural França-Brasil. Debatedora do programa "Sem Censura", âncora dos programas Multieducação e Rio, a Cidade! Condecorações: “Chevalier dans l’Ordre des Palmes Académiques” e “Officier dans l’Ordre des Palmes Académiques”. Palestrante em Congressos no Brasil e no exterior. Licenciada em Letras Português-Francês e mestre em Língua Portuguesa e Linguística pela PUC-Rio.

Marina Alves

Marina Alves é fotógrafa e cientista social, formada pela Universidade Federal Fluminense. Especialista em Educação das Relações étnico raciais pela CEFET/RJ, foi formadora do projeto A Cor da Cultura em 2012 e coordenadora do curso de formação de professores em história da África e educação das relações étnico-raciais do Centro de Articulação das Populações Marginalizadas (CEAP) em 2013. Na área da fotografia, é fotógrafa e operadora de câmera no núcleo Agoyá de criação e produção audiovisual e professora de fotografia na COART/UERJ e no projeto Cultura de Direitos - Prefeitura de Maricá/RJ, além de componente da Comissão de Mulheres organizadora do Festival FotoRio 2018. Sua relação com a fotografia se tornou inseparável da percepção de sua dimensão política e seu poder narrativo subliminar, arma da escolha, assim como disse o fotógrafo afro-americano Gordon Parks. Hoje, considera que está concebendo um acervo de fotografias documental que tem por objetivo visibilizar as pautas dos movimentos sociais principalmente, movimento negro e de mulheres.

Eugênio Sávio

Graduado em jornalismo (UFMG), mestre em Comunicação e Cultura (UFRJ). Professor de fotografia e fotojornalismo na PUC Minas. Fotógrafo na área editorial. Desde 2004 se dedica a promover a difusão da produção fotográfica autoral brasileira, a qualificação e a atualização dos artistas que utilizam a fotografia através de ações do projeto Foto em Pauta, que promove palestras, exposições, cursos e o Festival de Fotografia de Tiradentes.

Jefferson Mello

Fotógrafo, diretor de filmes publicitários para os Clubes Botafogo e Vasco da Gama, fotografou para inúmeras capas de CD’s e catálogos de moda. É autor do livro “Os Caminhos do Jazz”, para o qual viajou pelo mundo atrás de histórias que permitem ao leitor seguir passo a passo os caminhos deste estilo musical: desde seu surgimento até a atualidade. Além disso, Jefferson Mello realizou exposições, como “Exposição Marisa Monte”, em 1995, no Fashion Mall, e "Caminhos do Jazz", em 1996, no MAM, que apoiou a divulgação de seu livro homônimo. Dirigiu o documentário que trata sobre a passagem do Botafogo pela 2ª divisão, denominado “O Resgate da Dignidade” e outro sobre a conquista do Campeonato Estadual de 2006 pelo mesmo clube, denominado “O Rio é Preto e Branco”. Foi roteirista e diretor do documentário Samba & Jazz: Rio de Janeiro – New Orleans; obra premiada internacionalmente. Neste longa-metragem, Jefferson buscou traçar um paralelo entre estes dois ritmos e suas respectivas culturas, numa abordagem versátil e despretensiosa, buscando a sinergia entre as duas cidades onde estão mais presentes: Rio de Janeiro (Brasil) e New Orleans (Estados Unidos). O filme ganhou 2 prêmios como melhor documentário longa metragem em festivais nos EUA e até hoje vem sendo selecionado para participar de festivais nacionais e internacionais.

João Kúlcsar

Mestre em artes pela Universidade de Kent, Inglaterra, professor visitante na Universidade de Harvard. Coordenador e professor do SENAC-SP desde 1990. Curador de exposições fotográficas: Claudia Andujar, Cristiano Mascaro, Maureen Bisilliat, Thomaz Farkas, Henri Cartier-Bresson e Elliott Erwitt, entre outras. Autor de vários livros como: Retratos Imigrantes e Herança Compartilhada. Editor do site www.alfabetizacaovisual.com.br.

Passo a passo

1

Para participar, faça seu cadastro gratuito no site e envie suas fotos. Vocé deverá enviar 10 fotos.

2

A comissão organizadora selecionará as fotos que entrarão na galeria virtual do site.

3

A partir daí, as fotos publicadas estarão abertas para votação popular e para a votação do júri oficial.

4

As votações se encerram no dia 25/11/2019 e os resultados serão divulgados no dia 06/12/2019.